EntrevistaMúsica

Entrevista – Brunelli fala sobre o clipe colorido de ‘Fome de Você’

Nesta sexta (12) o Brunelli lançou o single e o clipe de “Fome de Você”, que completa a trilogia de lançamento de seu EP que leva o mesmo nome da faixa.

A música ainda veio acompanhado de um clipe que remete o verão e cheio de cores vibrantes. Com isso, entrevistamos o cantor para falar sobre o vídeo e ainda contar sobre a sua carreira.

OA – Como surgiu a ideia da música?

Brunelli – “A música veio de um papo que tive com o Arthur Marques, DJ Thai e Rian Guimarães que também produziram comigo o trabalho anterior a esse (“Não Me Chama de Amor”) e como tal
eu sempre conto pra eles no início do nosso trabalho como eu estou me sentindo, sobre o que eu quero falar naquele momento, o que está se passando na minha cabecinha e traçamos uma história sobre oq falaremos na música e qual sonoridade seguir. Nisso as ideias vão fluindo e gente consegue trazer histórias verdadeiras que são baseadas na na minha vida pessoal e também na dos meus amigos, afinal eles também estão aqui pra isso, já que dou conselhos pra eles e os escuto, eu acho justo tirar uma casquinha das histórias e transformá-las em música”.

OA – O clipe apresenta uma vibe forte e colorida. Como surgiu essa ideia?

Brunelli – “A ideia de trazer essa vibe mais colorida e tropical, foi justamente para amenizar um pouco esse momento sombrio que estamos vivendo por conta da pandemia, trazendo muitas cores vivas em um ambiente lindo, que é o Solar das Palmeiras, na Ilha da Gigóia, localizada no Rio de Janeiro, onde gravamos esse videoclipe.
Um lugar agradável e aconchegante para que as pessoas que assistirem o clipe tenham vontade de estar ali comigo passando uma tarde maravilhosa, dançando e se divertindo. Também porque tinha tudo haver com a música e com o final da estação que eu mais amo que é o verão.”

OA – Ainda falando do vídeo, como foram as gravações? Teve alguma história divertida?

Brunelli – “Nossa, essa foi a gravação que mais gostei de fazer até hoje! A equipe que estava lá comigo eram todos muito legais, respeitosos, profissionais, então foi uma vibe super gostosa que com certeza contribuiu para que esse clipe saísse tão ‘gostosin’ como saiu! Uma história divertida que aconteceu lá foi o seguinte: esse lugar que gravamos existiam coisas muito valiosas, coisas caríssimas, e eu pisciano desastrado que sou, fui proibido de andar sozinho pela casa pra eu não correr o risco de esbarrar ou quebrar alguma coisa, então pra todo canto que eu ia, tinha alguém coladinho em mim só de olho.”

OA – A faixa mistura o pop, o rock e até o reggae. Com isso, você pensa em gravar e fazer
parceria com outros gêneros musicais?

Brunelli – “Sim, eu venho de uma vertente musical muito mista, comecei cantando na igreja desde cedo e depois fui pros bares, baladas, rodeios, shows, etc. Eu amo música então adoro passear pelos ritmos e me jogar nas músicas! Sim, já estou trabalhando numa música com uma artista que eu amo de paixão e é de outro gênero musical mas que também tem tudo haver comigo e com a minha historia!”

OA – Agora falando sobre a sua carreira, quais foram os seus desafios até agora e qual também foi o momento que mais te marcou?

Brunelli – “Acho que os maiores desafios são quando a gente tenta conseguir um espaço na indústria musical por conta de ser LGBTQIA+, infelizmente ainda não são todos os veículos que cedem esse espaço pra gente mostrar um pouquinho da nossa arte e da nossa essência, mas graças aos vários outros artistas LGBTQIA+ que estão surgindo no mercado esse espaço vem se abrindo cada vez mais e aos poucos conseguimos mostrar um pouquinho do que somos! Justamente o momento mais marcante da minha carreira foi quando Luisa Sonza me convidou pra cantar com ela no seu trio na Parada do orgulho LGBTQIA+ de São Paulo pra milhares de pessoas! Aquele momento foi único. E claro um momento que não posso deixar de mencionar foi quando assinei o meu contrato com a gravadora Universal Music, era um sonho também estar com eles!”

OA – Quais são os seus projetos futuros?

Brunelli – “Lançar mais musicas, quem sabe um Album completo! E se a pandemia acabar logo, quero fazer um SHOWZÃO com pelo menos 3 a 4 horas de duração pra matar a saudade!”

More in:Entrevista