EntrevistaMúsica

Entrevista – Cidade Verde Sounds fala sobre single com Tati Portella

No último dia 19 de março, o Cidade Verde Sounds lançou o single “O que É Perfeito Fica”, em que conta com a participação de Tati Portella, ex-vocalista do Chimarruts

Com isso, o vocalista da banda, o Adonai, conversou conosco para falar sobre o single e os projetos da banda, que completa 10 anos de carreira oficial em 2021.

OA – Como surgiu a ideia do música?

Adonai – “Essa música surgiu de um ‘freestyle’ que eu fiz com o Thiago Barromeu, produtor da faixa. Ele veio com essa harmonia e eu saí fazendo ‘freestyle’ em cima. Basicamente todo o primeiro verso da música é esse ‘freestyle’ aí, foi alterado basicamente nada. Aí queríamos um feat para essa faixa, quando surgiu a ideia da Tati, conversamos com ela e mostramos a música. Juntos, escrevemos o verso da Tati e o refrão.”

OA – A faixa ainda conta com a parceria da Tati Portella. Como foi feito esse convite para celebrar a amizade entre vocês?

Adonai – “A Tati conheço ela de camarins e de shows que a gente já fez, na época em que ela fazia parte do Chimarruts. Mas na verdade quem fez essa conexão com ela foi também o Thiago Barromeu.”

OA – A música ainda ganhou um clipe em tom intimista. Como surgiu essa ideia e como foram as gravações?

Adonai – “Desde o início, a gente teve essa coisa dela ser bem minimalista, tanto que essa música foi gravada em um take só. Ela não tem nenhuma edição. A gente até pensou colocar outros instrumentos, mas a gente gostou da música como ela ficou, bem crua, só com o violão e uma pequena percussão. Aí a gente quis trazer isso para produção do videoclipe.”

OA – Neste ano, vocês estão comemorando 10 anos de carreira, o que é uma marca simbólica. Com isso, o que vocês estão preparando para este ano?

Adonai – “Esse ano o Cidade Verde completa 10 anos de carreira. A gente conta desde 2011, quando lançamos o nosso primeiro disco, chamado “Reggae Presidente”, e pra esse ano a gente está preparando um novo disco. Já soltamos três singles, agora vem o quarto, com a Tati. A ideia é que saia um disco até o meio do ano, comemorando esses 10 anos. O disco já está em fase final de produção, está muito lindo, e é um disco que traz toda essa carga do Cidade Verde desde o início. Essa variedade de estilos que o Cidade Verde aborda.”

OA – Ainda falando sobre a carreira, o que vocês já enfrentaram nesse tempo e o que vocês ainda planejam em alcançar?

Adonai – “A gente já enfrentou muita coisa nesse tempo de carreira. Viajou muito de carro, eu lembro que o Mastor tinha um Celtinha e a gente varava o Brasil com ele. Fazendo showzinho só eu e ele, o microfone e os equipamentos. Nessa época, as mídias sociais não eram tão expressivas, então, essa era uma forma boa de divulgar o seu trabalho. A gente planeja alcançar muita coisa. Já tocamos nos maiores festivais do Brasil, como o João Rock, Forró da Lua Cheia. Já passamos por grandes cidades, então assim, eu acho que é seguir nesse caminho, atingir mais e mais pessoas, fazer crescer o nosso número de ouvintes, o nome da banda no cenário, e se Deus quiser, chegar aí num Rock in Rio, Lollapalooza. Música não tem fim, né?”

More in:Entrevista