Televisão

Com impasse longe de ser resolvido, séries de Chespirito completam mil dias fora do ar

Continua após a publicidade..

Foi a 31 de julho de 2020 que uma bomba surpreendeu o universo chespiritano e a televisão brasileira: as séries criadas e protagonizadas por Roberto Gomez Bolaños (1929—2014) saíram do ar, devido a não renovação do acordo entre a Televisa, exibidora das atrações no México, e a família do comediante, representada pelo Grupo Chespirito, dona dos roteiros. O “apagão” que forçou o SBT a interromper a exibição de “Chaves” e “Chapolin” após 36 anos na grade do canal completou mil dias nesta quinta-feira (27).

Continua após a publicidade..
Chaves e outras séries de Roberto Gomez Bolaños estão há mil dias fora do ar (Foto: Reprodução)

O fim do contrato entre as partes fez que os humorísticos fossem retiradas dos catálogos de várias emissoras ao redor do mundo. Desde então, o impasse esteve longe de ser resolvido, fazendo a enorme legião de fãs das séries recorrer ao YouTube (onde a maioria dos conteúdos foram bloqueados pel a Televisa) ou até mesmo a serviços piratas para ter acesso aos episódios, além das perspectivas de um retorno à TV estarem cada vez mais remotas.

Continua após a publicidade..
Advertisement
[smart_post_show id="61047"]

Por diversas vezes, Roberto Gómez Fernández, filho de Bolaños e diretor do Grupo Chespirito, demonstrou sua intenção em chegar a um acordo com a Televisa para que as criações do pai voltassem ao ar. A emissora, por sua vez, limitou-se a declarar que os programas não estão sendo transmitidos devido a certas discussões sobre os direitos envolvidos; não podemos comentar mais em respeito às partes envolvidas num comunicado assinado por seu diretor de programação Rubem Acosta enviado ao Jornal O Globo no ano passado. Viúva de Chespirito, a atriz Florinda Meza – intérprete de Dona Florinda no seriado – chegou a reclamar numa entrevista ao programa da apresentadora Adela Micha no início deste ano que os valores oferecidos pela emissora mexicana eram irrisórios. Vale lembrar que os atores ainda vivos (Florinda, Carlos Villagrán, Maria Antonieta de las Nieves e Edgar Vivar) não tem envolvimento no processo.

Não foram raras as tentativas de trazer de volta os personagens da Vila mais famosa da TV. Em 2021, emissários de Silvio Santos tentaram negociar diretamente com a família de Roberto Bolaños o retorno de “Chaves” e “Chapolin” ao SBT, conforme noticiou a época o jornalista Ricardo Feltrin, mas as conversas não avançaram. Quando os humorísticos saíram do ar, há exatos mil dias, o canal lamentou a decisão em nota: O SBT lamenta a decisão, principalmente em respeito ao seu público, que acompanha fielmente os seriados há tantos anos na emissora. A emissora continua na torcida para um acordo entre as duas empresas mexicanas o mais rápido possível e, se isto acontecer, teremos o prazer de informar aos fãs de Chaves, Chapolin e Chespirito, imediatamente. À ocasião do “apagão”, os seriados eram exibidos também pelo Multishow, na TV paga, além de ter os episódios disponíveis no Prime Video.

Advertisement
Advertisement

More in:Televisão