Cinema

Crítica – “Uma Segunda Chance Para Amar” mistura comédia com emoção

Hoje chega aos cinemas o filme “Uma Segunda Chance Para Amar”, estrelado por Emília e Henry Golding e com referências as músicas de George Michael.

O longa gira em torno de Kate (Emília Clarke), uma mulher que ainda se comporta como se fosse uma criança, tem um emprego que não gosta muito, não tem uma boa relação com a sua família e ainda nem tem muita amizade. Além disso, ela ainda sofre com problemas de saúde. Tudo muda quando ela vê Tom (Henry Golding) entrando em sua loja e a convidando para sair logo de cara.

O roteiro de Emma Thompson e Bryony Kimmings tem uma boa história, consegue cativar pela emoção da personagem da Emília e trás temas atuais de discussão como a lesbofobia familiar, o Brexit e doação de órgãos, mas após o seu plot-twist, acaba ficando confusa e a deixando com diversos furos e questionamentos sobre o que aconteceu. São pequenos detalhes que acaba não condizendo com a realidade apresentada pelo longa durante o seu desenvolvimento.

Apesar de se tratar de uma comédia romântica, o humor acaba não tendo muito destaque, apenas umas risadas e um pouco de sorriso amarelado. Enquanto ao George Michael, ele é referência da Kate, já que ela se sente como o cantor tanto no pessoal quanto no profissional. Diferente do que alguns esperar, o roteiro não gira entorno das canções do intérprete de “Careless Whisper” (música que falta no longa), elas apenas servem de complementação a cena, com exceção de “Last Christmas”, que segue fiel com o que é dito.

Apesar de tudo, “Uma Segunda Chance Para Amar” tem tudo para ser um sucesso do gênero e ainda conquistar mais público com a sua emoção.

More in:Cinema