Crítica

Crítica – ‘AmarElo – É Tudo Pra Ontem’: Documentário de Emicida é uma aula com música

Nesta terça (08) chega a Netflix o documentário “AmarElo – É Tudo Pra Ontem”, focado no último álbum e na carreira do Emicida, com uma linda mensagem de esperança e uma grande aula, diga-se de passagem.

Sua história inicia com os bastidores do primeiro show do álbum, realizado no final do ano passado no Teatro Municipal de São Paulo. Ele ainda vai sendo contado durante a produção, sendo mesclado com imagens da carreira do rapper, a produção do disco e uma baita aula didática relacionada a cultura negra, altamente necessária e que, infelizmente, ainda não aprendemos muito na escola.

Durante 1h30, “AmarElo” trás uma aula de sabedoria destacando o início do samba e o seu crescimento, a mistura que há entre os gêneros musicais, no qual o próprio Emicida já teve em sua carreira, como por exemplo em “Quem Tem Um Amigo Tem Tudo” com Zeca Pagodinho, destaque a artistas negros como Leci Brandão, Ruth de Souza, Wilson Simonal e Wilson das Neves. É extremamente necessário esse olha, pois nem precisa falar que a nossa história infelizmente não valoriza os artistas negros. Inclusive, durante a coletiva de imprensa virtual realizada na última quinta (04), o Emicida chegou a falar que o filme tem que passar nas escolas, o que, também diga-se de passagem, temos que concordar.

Ainda durante a conversa com os jornalistas e convidados, o rapper disse que a produção do documentário foi feita de forma remota, já que o projeto infelizmente foi atingido pelo coronavírus, chegando a ter seus shows cancelados. Mas isso não abalou em nada, pelo contrário, foi uma injeção de ânimo ao artista, que ainda contou que filtra as informações que a chegam para manter a sua saúde mental saudável.

Emicida vê em sua produção o potencial de uma luta pelo coletivo e de que qualquer pessoa que o assistirá, irá procurar uma solução para os seus problemas. No caso da luta, só saberemos conforme for a repercussão do filme, em contrapartida, a questão da mudança é provável que aconteça, por conta da luta e da força que a vossa ancestralidade teve ao longo do tempo.

A produção já tá disponível no streaming.

More in:Crítica