Música

Os Caras e Carol fala ao OA sobre seu novo álbum de estreia e as apresentações no Rock In Rio

Foto: Guto Costa

Criada há quatro anos atrás após se conhecerem em uma escola de teatro no Rio de Janeiro, Os Caras e Carol acabam de lançar o seu primeiro álbum de estreia “Coisas da Vida”, acompanhando do clipe da música “Até Amanhã”.

A banda formada por Carolina Coutinho (vocais), Leonardo Maciel (baixo), João Loroza (guitarra) e Ruvício Santos (bateria) ainda se apresentará pela primeira vez no Rock in Rio, em todos os dias do festival no Highway Stage. O OA conversou sobre a expectativa em se apresentar na Cidade do Rock, do lançamento do álbum, de como surgiu o nome da banda e de suas influências.

OA – Como foi a produção de “Coisas da Vida”?

Começamos o processo em 2017, porém com espaço entre essas sessões, que só foram terminar no final de 2018. Começamos idealizando um EP e, mais pra frente, transformamos em um álbum com nove faixas; sete autorais, um cover e um remix que entrou nas rádios nesse período entre os dois singles lançados. Contamos com a produção de Mauricio Pacheco, que conseguiu absorver nossas ideias de arranjos e aprimorá-las com maestria. Ficamos muito satisfeitos com o resultado, mas o processo foi incrível! Tivemos a oportunidade de gravar em alguns estúdios do Rio de Janeiro muito interessantes. E a masterização ficou por conta do Antoine Midani @midanix, que também com maestria arrematou toda obra. 

OA – O álbum conta com sete faixas, sendo delas um cover. Como foi processo de composição e de seleção para o álbum?

São sete faixas da nossa autoria, um cover de Caetano Veloso, concluindo com um remix que divulgou a gente na Rádio Mix, produzido pelo Molla DJ. Começamos a escolher nossas primeiras composições ainda em 2015, como por exemplo “Até Amanhã”, que tocamos no nosso primeiro ensaio. Daí em diante, toda semana tínhamos algo novo para mostrar. O processo de composição veio de antes de fundarmos a banda. Eram composições que tínhamos guardadas para nós mesmos, porque, no fundo, compor é uma maneira de tirar algum sentimento de dentro de você. E na maioria das vezes é um alívio e felicidade quando terminamos uma canção. “Máquina do Tempo” e “Que se Faça Luz”, que foram escritas sob medida pra voz da Carol, aconteceram durante a nossa trajetória. No fim das contas, no meio de tantas músicas que criamos, escolhemos essas sete para o nosso álbum de estreia. “You don’t know me”, do Caetano, escolhemos por gostar muito do álbum dele, “Transa”,  de 1972. “Cabelo” e “O que será de nós” foram nossos primeiros singles lançados e fazem parte desse momento.

OA – Para “Coisas da Vida”, quem foi a influência musical de vocês?

Fomos muito influenciados pelo álbum “Rumors”, da banda Fleetwood Mac, e até conversamos com nosso produtor Mauricio sobre essa estética. Cada um surge com suas referências somando esse processo. Posso incluir também Florence And The Machine, Clube da Esquina, Fela Kuti, Beatles, Earth Wind and Fire são algumas das nossas influências musicais pra esse álbum.

OA – Sobre a história da banda: como surgiu a ideia do nome Os Caras e Carol?

Um dos membros fundadores da banda, Diego Esteves, que não está mais como músico, porém participa como compositor contribuindo com a música ”Líquido”, sugeriu esse nome durante os primeiros ensaios. Logo de cara adoramos.  O Léo buscava um nome como daquelas bandas da década de 50 e 60 de baile, onde todos usam o mesmo terno azul, igual no filme “De Volta Para o Futuro I”. E achamos que esse nome foi perfeito.

OA – O que marcaram vocês até o momento?

Marcou muito tocar no Festival de Inverno de 2018, abrindo a noite pro Frejat, Paralamas do Sucesso e Nando Reis. Foi bem emocionante dividir o backstage com essas lendas, ter cumprimentado seres lendários como João Barone, Bi Ribeiro e João Fera. No final desse mesmo ano, tivemos a oportunidade de tocar no Convicção Festival no Rio (Fundição Progresso) e em São Paulo (Audio), com Fresno, Rashid, Konai, Trago…Foi bem marcante, porque foi nossa primeira viajem juntos! E, por último, fomos convidados para tocar no Circo Voador, abrindo a noite para o Menores Atos e a banda Supercombo. Para nós, que somos cariocas, foi um sonho realizado tocar nesse templo. Marcou muito todo o processo de gravação, ratificou nossa relação como banda e, consequentemente, como família.

OA – Vocês também irão se apresentar todos os dias do Rock in Rio neste ano. Como aconteceu esse convite e também como está sendo lidar com essa expectativa?

Sim! Foi inacreditável quando soubemos. O convite surgiu a partir de um vídeo no nosso canal do YouTube, de um cover do Harry Styles, chamado “Kiwi”. Esse vídeo foi dirigido, idealizado, editado e tudo mais pela Carol, nossa virginiana que, além de cantora e atriz, também é cineasta. A nossa pretensão era  colocar o conteúdo no nosso canal, que só tinha os singles na época. Acabou chegando na galera do Rock in Rio, que achou nossa estética condizente com a atmosfera do Highway Stage. E agora estamos ensaiando grandes clássicos do rock e as nossas músicas para tocar todos os dias do festival. São mais de trinta músicas, de nomes como Beatles, Pink Floyd, Elton John, Paralamas,  Barão Vermelho, Lady Gaga, Lil Nas X, David Bowie, The Who, Amy Winehouse, Rita Lee, Queen, Rolling Stones, Miley Cyrus, Creedence, Cream, AC/DC e Fleetwood Mac, é claro.  Estamos  super empolgados e está sendo um aprendizado como banda tirar grandes clássicos e todas essas músicas que adoramos. Mas vai ter tempo também para tocar as nossas autorais. Então, não percam!


OA – E o que o público pode esperar da banda daqui para frente?

Vamos lançar vídeos novos no nosso canal do YouTube, como por exemplo, registros que captamos durante o processo de gravação do álbum ‘Coisas da Vida’. A galera que gosta vai entender como essas músicas nasceram, onde e como estávamos nos sentindo. Esperem também por mais clipes das outras músicas que fazem parte do álbum. Queremos tocá-las pelo Brasil, conhecer os lugares através da nossa música, conhecer nosso país.

https://www.youtube.com/watch?v=oNo9xGrNi_0

More in:Música