Televisão

Maior parceria entre Globo e SBT, Hilda Furacão está de volta no Globoplay

Nesta segunda (19) a minissérie Hilda Furacão está de volta ao Globoplay, no qual poderemos rever a Ana Paula Arósio em um dos papéis mais marcantes de sua carreira.

Na história, Ana dá vida a Hilda, em que foge de seu casamento para se tornar uma prostituta em Belo Horizonte após a leitura de uma cartomante, falando que que seu grande amor só se cumprirá após muito sofrimento e está relacionado à perda de um sapato seu. Este homem acaba sendo o Frei Matheus (Rodrigo Santoro), com quem vive um romance proibido que o faz largar a igreja ao final.

A trama que foi baseada no livro homônimo de Roberto Drummond e adaptada por Glória Perez contou com uma parceria inusitada entre Globo e SBT, que nunca mais se repetiu. Tudo começou quando Wolf Maia, diretor da minissérie, foi ver a Ana Paula Arósio em uma montagem de “Fedra” no teatro em 1997, no qual a sua performance acabou chamando atenção.

Naquela altura, a atriz em que deu vida a protagonista ainda era contratada da emissora de Silvio Santos, em que atuou em três novelas no canal: “Éramos Seis”, “Razão de Viver” e “Os Ossos do Barão”. De início, o SBT não queria liberá-la, por ser um dos maiores investimentos do departamento de elenco da emissora, chegando a fazer cursos de interpretação financiados pelo SBT. A Globo também não queria aceitar, pois não achava justo ir na rival buscar uma atriz para ser protagonista. Porém, após uma longa conversa com o departamento artístico da emissora do SBT, Ana Paula Arósio foi emprestada por três meses a concorrência.

As gravações aconteceram entre novembro de 1997 e fevereiro de 1998, em que foi encerrada às pressas, já que no primeiro dia de março a atriz teria que voltar a ser exclusiva do SBT. Em fala a Folha de São Paulo, Ana reclamou do ritmo intenso das gravações externas em Belo Horizonte por conta do encerramento do acordo. Quando voltou a ser exclusiva da emissora de Silvio Santos, Ana Paula Arósio participou do “Teleteatro”, em que cada episódio era uma adaptação diferente dos textos da autora mexicana Marisa Garrido.

No segundo semestre de 98, o contrato com o SBT terminou e a atriz assinou com a Globo. Na época, Ana contou que não gostou de fazer o “Teleteatro”, porém por contrato teve que realiza-lo. Na emissora carioca, permaneceu até 2010, quando pediu afastamento da novela “Insensato Coração”, em que viveria a protagonista, e rescindiu o contrato, se afastando da mídia.

More in:Televisão