ComportamentoFamosos

O que a Samantha Schmütz ouviu é o retrato de um Brasil intolerante

Na última segunda (20), a atriz Samantha Schmütz publicou em suas redes sociais um episódio de homofobia vindo do motorista do taxi em que estava.

No vídeo gravado pela intérprete do Juninho Play, o taxista afirmou que já chegou agredir um casal gay pelo fato deles estarem se beijando. “Dei uma coça. “Não tinha lei, ainda, não tinha essa liberação total. Eles desrespeitaram todo mundo. Não tem nada a ver: um montão de casal hétero, ‘normal’, ninguém se beijando e por que os dois ficaram se agarrando ali? Não tinha por que fazer aquilo ali. Hoje as cabeças estão diferentes. Aí dei uma coça nos dois” – afirmou o motorista.

Após a fala, Samantha saiu do taxi e afirmou que estava apavorada com o que ouviu.

Opinião: o que a Samantha ouviu é o triste relato que nós LGBTQI+ sofremos. O que leva uma pessoa agredir um casal gay e depois pagar de machão por aí dizendo que fez isso com o orgulho? Me pergunto isso com todos os tipos de violência, pois eu sei como é ser agredido e ainda ter pessoas que sai orgulhosa em cima disso (nunca sofri agressão física, somente verbal e virtual). Além do mais, ainda tem gente que acha que a homofobia não deve ser criminalizada. Será que é preciso quanto mais LGBTQI+ morrerem ou sofrer com as marcas das agressões para isso?