Crítica

Crítica: Velozes & Furiosos 9 é muita ação para pouco roteiro

Velozes & Furiosos 9 é o nono capítulo da saga que perdura há quase duas décadas e é uma das franquias mais bem lucrativas do mundo com U$5 bilhoes nas bilheterias.

Trailer Oficial

Dom Toretto está levando uma vida tranquila fora das pistas com Letty e seu filho, o pequeno Brian, mas sabem que a qualquer momento, isso pode mudar. Desta vez, uma ameaça forçará Dom a confrontar os pecados de seu passado e salvar aqueles que ele mais ama. Sua equipe se une contra uma trama mundial liderada por um assassino e motorista de alto desempenho: um homem que se descobre ser o irmão abandonado de Dom, Jakob, interpretado por John Cena.

O filme ainda traz o elenco fiel da série como Michelle Rodriguez, Tyrese Gibson, Chris “Ludacris” Bridges, Jordana Brewster, Nathalie Emmanuel e Sung Kang, além das ganhadoras do Oscar Helen Mirren e Charlize Theron. Velozes e Furiosos 9 também destaca a ganhadora do Grammy Cardi B como Leysa, uma nova personagem que terá conexão com o passado de Toretto.

O longa é conhecido por suas cenas selvagens de ação mescladas com carros exóticos e belas paisagens, além das histórias interpessoais dos personagens e a longa árdua caminhada de cada um desde sua estreia em 2001.

Porém ao decorrer do tempo, e principalmente após o falecimento de um de seus personagens principais, Brian O’Connor interpretado por Paul Walker, a saga se encontra atualmente em decadência pelo uso extravagante de cenas de ação, elenco extensivo de celebridades para chamar atenção, que na verdade só causa surpresa ao ver pessoas de outros rumos de entretenimento atuando num filme de ação, como a participação de Cardi B e o campeão peso-pesado do UFC Francis Ngannou. Além da emergente falta de aprofundamento do arco narrativo dos outros personagens fiéis da série, onde não sabemos quase nada sobre, e são usados como uma comodidade por seus talentos.

Apesar da necessidade de mais envolvimento dos personagens com o público, Velozes & Furiosos 9 entrega o que promete: muita ação, velocidade e pancadaria. O longa faz uso da criatividade ao surgir com cenas cabulosas ao olho humano, um tanto sensacionalistas. O elemento surpresa se encontra no progresso do perigo somados de todos os filmes, onde a cada um o elenco se supera, mas podemos dizer que nesse filme as coisas foram para outro patamar quando Roman Pierce, interpretado por Tyrese Gibson, e Tej, interpretado por Ludacris, vão em uma missão para deter o fim do mundo no espaço sideral.

SaraFreitas
Apaixonada por cinema!

More in:Crítica