EntrevistaMúsica

Entrevista: Conheça Ariah, a nova promessa do pop brasileiro

Se você ainda não conhece a Ariah, isso muda agora. A cantora e compositora de apenas 24 anos, que teve a oportunidade de se apresentar na Parada LGBTQIA+ esse ano em São Paulo, mostra através dos seus trabalhos que está empenhada em marcar seu nome na indústria musical. Não apenas suas músicas carregam sua personalidade. Seu visual e até seu nome artístico, inspirado no signo de Áries, nos dão uma ideia de quem a jovem é.

O Oniverso Abominável teve o prazer de bater um papo com Ariah e conhecer as ideias por trás do seu lançamento recente, a canção “N era amor”, suas inspirações na música e estilo pessoal, objetivos profissionais e também a sua determinação em ter sua voz ativa nas suas redes sociais.

Em relação ao seu estilo próprio, ela nos conta que tem alguns nomes da indústria que a inspiram: “Eu tenho muitas inspirações em culturas como gótica, punk, cyber punk e também em artistas como Melanie Martinez, Duda Beat, Lady Gaga e Billie Eilish. Elas me ajudaram muito a desenvolver meu estilo tanto musical quanto visual.”

Ao ouvir as músicas de Ariah, incluindo “N era amor”, é possível perceber que suas letras são extremamente pessoais e mostram um ponto de vista emocionalmente vulnerável e honesto. Ela, que afirma ser terapêutico compôr essas canções, nos fala como funciona esse processo de composição das letras, e revela que suas músicas são os desabafos dela. “Todas elas são baseadas em situações que eu realmente passei. Eu me agarro a esses sentimentos e tento traduzi-los da melhor forma possível, de uma forma que quem escute possa se identificar e talvez, entendendo melhor um sentimento, a pessoa que ouvir seja capaz de superar a situação com menos sofrimento, sabendo que ela não está sozinha”, diz a cantora.

Ariah, que é uma mulher bissexual assumida, também faz questão de deixar claro como é importante para ela falar em favor da comunidade a qual pertence. Questionada sobre seu ponto de vista em relação ao espaço e reconhecimento que a comunidade LGBTQIA+ luta há tanto tempo para conseguir na indústria da música e o por quê usar suas plataformas em prol dessa causa é crucial para ela, Ariah diz: “Eu quero que as pessoas que me escutam me vejam como um espelho, uma pessoa com opiniões, pensamentos e sexualidade e não somente um produto no mercado. Eu quero que elas saibam que sou igual a elas, então pra mim não faz o menor sentido esconder quem eu sou, principalmente algo tão importante pra mim como participar da comunidade LGBT. Então não importa que isso demore pra acontecer, eu não vou parar de lutar pra termos representatividade.”

Dentre as plataformas que usa, o TikTok é uma das principais ferramentas que a cantora evidencia sua voz e divulga seus trabalhos. Nela, Ariah coleciona mais de 20 milhões de visualizações em seus vídeos e considera a rede social crucial para seu trabalho. “O tiktok mudou a minha vida e acredito que dê muitas oportunidades para artistas de vários meios a ganharem um espaço na mídia. E é também onde eu tenho meu maior público e apoio.”

Com motivos para se orgulhar da sua tragetória até o momento e colhendo os frutos do seu trabalho, não pudemos deixar de perguntar sobre sua perspectiva futura, onde e como Ariah se vê daqui alguns anos? Com muita simpatia, ela responde: “Que pergunta massa. Em 2023 eu gostaria de fazer shows com certa frequência e trabalhar meu primeiro álbum. Em 2024 eu queria muito fazer um show no lollapalooza e crescer bastante meu público nas plataformas de streaming, e começar a ser mais reconhecida como artista também. E espero que eu também possa mudar a vida de muitas pessoas com a música.”

O single “N era amor”, como todas as faixas musicais de Ariah estão disponíveis nas plataformas de música. Se você quiser saber um pouco mais do seu trabalho e conteúdos, siga a cantora nas suas redes sociais: @AriahMusic.

Advertisement
Advertisement
Advertisement

More in:Entrevista